Conversa com o médico

Conversa com o médico

As próteses de silicone não são todas iguais, sabia? Dependendo do material e dos processos de fabricação, elas apresentam variações no formato (redondo ou anatômico, por exemplo), na texturização e na coesividade (que é a capacidade de as moléculas do gel de silicone se manterem unidas, sem escorrer). Alguns fatores podem aumentar sua margem de segurança na escolha da prótese de silicone e também ajudar você a chegar no resultado que espera. Por exemplo, a aprovação pelo órgão oficial de saúde nos Estados Unidos, um dos mercados mais exigentes do mundo: a FDA (Food and Drug Administration”), e pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no Brasil. Ou mesmo o controle de qualidade e o corpo de estudos técnicos que as próprias fabricantes estabelecem (e devem divulgar para você). Transparência aqui é fundamental, e o seu médico deve estar preparado para lhe dar todas essas informações e muitas outras a respeito de cada marca de prótese disponível no mercado, além dos detalhes sobre os processos de pré e pós-operatórios.

Seguir todas (todas mesmo!) as recomendações do seu médico é fundamental para um procedimento cirúrgico tranquilo e seguro. Há uma série de orientações, tanto no pré quanto no pós-operatório, que irão impactar na sua saúde, recuperação e no resultado final. No pré-operatório, pode ser necessário fazer exames laboratoriais e uma avaliação médica. Uma mamografia antes e outra após a cirurgia ajudarão a detectar qualquer mudança futura no tecido mamário. É possível que você precise tomar certos medicamentos ou ajustar a ingestão dos atuais. É importante, por exemplo, evitar aspirinas, anti-inflamatórios e qualquer outro remédio natural que possa aumentar o sangramento na hora da cirurgia. Se você fuma, um aviso: precisa largar o cigarro com bastante antecedência. Converse com seu médico para saber quais exames, avaliações e medicamentos serão necessários para uma cirurgia segura e confiável. O pós-operatório requer outros cuidados tão ou mais importantes. Você receberá instruções específicas, como não praticar exercícios físicos ou fazer movimentos bruscos com os braços, tomar medicação via oral para evitar infecção e retornar ao médico para acompanhamento e verificação do curativo. Dor e inchaço moderados são normais após a cirurgia, pelo menos na primeira semana. Por isso, você precisará de alguns dias de repouso. Não deixe de procurar seu médico se notar ou sentir algo anormal. Você pode obter mais informações no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
A tolerância à dor é outro fator muito particular de cada organismo. Claro que a cirurgia é feita com procedimento de anestesia, e você deve ser sincera com relação a seu histórico médico com toda a equipe de profissionais. No pós-operatório, é comum sentir desconforto e um pouco de dor. Mas seu médico irá lhe orientar sobre repouso e medicamentos adequados para este período. Uma boa forma de superar esta fase é pensar nos resultados duradouros da cirurgia que você acabou de fazer!
Não. Você pode optar por fazer a cirurgia tanto em hospitais quanto em clínicas especializadas. Porém, é importante saber que em qualquer um dos casos, eles precisam estar preparados para todos os procedimentos operatórios e de urgência, além de ter a liberação do Conselho de Medicina e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
A ansiedade para voltar ao ritmo é normal, né? Mas, para que você possa praticar exercícios físicos intensos, como natação, corrida ou esportes coletivos, são precisos pelo menos dois meses. No entanto, duas semanas após o procedimento cirúrgico, você já pode retomar algumas atividades mais simples, desde que não exijam grandes movimentos na região dos braços e tórax. Não se esqueça de pegar leve, e de que a saúde e a sua segurança estão sempre em primeiro lugar! Por isso, siga todas as recomendações do seu médico quanto a movimentação dos braços e do corpo, o retorno ao trabalho e a atividades físicas. Ele tem as informações sobre seu caso e está acompanhando sua recuperação de perto. Algumas dicas interessantes estão nesta matéria. Já para a volta ao trabalho, o prazo é normalmente mais curto – claro, desde que o seu trabalho não envolva atividades pesadas nem movimentação intensa! Nesta matéria, que usou como fontes médicos membros da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), a recomendação de repouso total é de 6 dias.
Se a sua grande preocupação é que fique uma marca muito grande, pode ficar tranquila. É claro que toda cirurgia plástica traz consigo uma cicatriz; no entanto, no que diz respeito a implante de silicone nos seios, existem três opções: incisão pela mama, auréola ou axila. São diferentes tipos de acessos para as próteses e deixam marcas também diferentes. É sempre bom lembrar que para cada pessoa o melhor lugar para a cirurgia pode variar. Por isso, é importante conversar com o seu cirurgião plástico e entender quais as vantagens e desvantagens de cada opção. Seguir as orientações do pós-operatório também é fundamental para ter uma boa cicatrização interna e externa. Por isso, realize o repouso e não movimente os braços e o tronco no período determinado, para que sua cicatriz fique intacta e fininha. Há produtos que podem ajudar na cicatrização, como adesivos cirúrgicos para fechamento da pele, que seguram os pontos; ou mesmo cremes cicatrizantes – que devem ser utilizados apenas com orientação médica, e após algumas semanas do procedimento. Lembre-se: saúde, confiança e satisfação vêm em primeiro lugar.
As próteses de silicone não são todas iguais, sabia? Dependendo do material e dos processos de fabricação, elas apresentam variações no formato (redondo ou anatômico, por exemplo), na texturização e na coesividade (que é a capacidade de as moléculas do gel de silicone se manterem unidas, sem escorrer). Alguns fatores podem aumentar sua margem de segurança na escolha da prótese de silicone que vai ajudar você a chegar no resultado que espera. Por exemplo, a aprovação pelo órgão oficial da saúde nos Estados Unidos, um dos mercados mais exigentes do mundo: a FDA (Food and Drug Administration), e pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no Brasil. Ou o controle de qualidade e o corpo de estudos técnicos que as próprias fabricantes estabelecem (e devem divulgar para você). Transparência aqui é fundamental, e o seu médico está preparado para lhe dar todas essas informações e muitas outras a respeito de cada marca de prótese disponível no mercado. Pesquise também sobre marcas disponíveis e seu histórico de notícias. Procure nas ferramentas de busca por notícias, recalls e decisões de órgãos de regulamentação, por exemplo. Segurança e qualidade são fundamentais para sua confiança e saúde.
Como em qualquer cirurgia alguns cuidados são necessários, não é? Exposição solar nos primeiros 30 dias não é recomendada. Após esse período, utilize sempre o protetor e de forma gradativa. Tente também não usar biquínis justinhos, para não fazer muita pressão na área operada. Converse com seu cirurgião para tirar todas as dúvidas. Tenha em mente que cada pessoa é única e o corpo pode responder de diferentes maneiras. A prótese se desgasta dentro do meu corpo? Não há garantias de que a prótese dure por toda a vida. Você precisa ter essa importante informação em mente: com o passar dos anos, pode ser que a substituição dos implantes seja necessária. Você deve sempre conversar com o seu médico, perguntar sobre a qualidade do produto, se é aprovado pelos órgãos oficiais da saúde, tanto do Brasil, quanto dos Estados Unidos. É fundamental ter um acompanhamento da saúde das mamas periodicamente, com seu médico ginecologista ou mastologista, para garantir que as próteses estejam íntegras. A qualquer sinal de anormalidade, procure um especialista.
Algumas mudanças na sensibilidade da pele podem ocorrer, principalmente logo após a cirurgia. É comum a região ficar mais sensível, em especial perto dos mamilos e da incisão. Isso, porque a alteração repentina interfere na elasticidade da pele. O esperado é que a sensibilidade volte ao longo dos meses, porém não é possível afirmar se voltará total ou parcialmente.
Antes de qualquer decisão é importante entender que cada mulher é diferente e, portanto, o tamanho ideal da prótese de silicone também não será o mesmo. Alguns fatores podem influenciar no momento da escolha, como: largura do tórax e altura da paciente, se há flacidez na mama, se pratica esportes e, principalmente, a preferência por seios maiores ou menores. Aproveite a conversa com o médico para tirar todas as suas dúvidas e assim tomarem a melhor decisão juntos.
Toda decisão importante, ainda mais a respeito de cirurgias plásticas, pode trazer insegurança. Por isso, é fundamental que você pesquise e se aprofunde no assunto e, então, trace expectativas bastante realistas em conjunto com o seu médico. É importante conhecer o seu corpo e saber o que o torna mais harmônico, para então entender os tipos de incisão, formatos e tamanhos das próteses de silicone. Tudo isso pode colaborar para que o resultado fique o mais próximo possível da sua expectativa. Entender sua estrutura corporal, condição de saúde e funcionamento do seu corpo vão ajudar você a ter uma expectativa adequada com relação a sua mamoplastia.
Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), não há evidências científicas que possam comprovar o desenvolvimento do câncer de mama proveniente de uma mamoplastia (nome que se dá à cirurgia de implantação de próteses mamárias).
O implante de silicone não deve interferir na amamentação, pois a sua colocação é feita abaixo do tecido mamário ou abaixo do tecido muscular sem afetar o caminho do leite pelos ductos da mama. Caso a prótese de silicone seja implantada pela auréola, na qual o tecido mamário é seccionado, pode haver algum efeito na amamentação. Por isso, é tão importante escolher um profissional qualificado e credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
Não. Porém, é recomendado que exames de imagem sejam realizados regularmente para analisar quaisquer mudanças nas próteses de silicone. Seu médico ginecologista ou mastologista devem acompanhá-la anualmente. Antes de realizar os exames, avise que você possui implante mamário, e guarde todos os resultados para ter histórico. No caso de uma mamografia, há um protocolo específico para a realização do exame para facilitar a visualização do seu tecido mamário.
O peso e tamanho da mama podem aumentar com o tempo, ainda mais após a gravidez e ganho de peso repentino. Mesmo nessas situações, a prótese de silicone estará preservada e não deve sofrer alterações por se tratar de um objeto físico. Com a idade, a flacidez irá se tornar mais evidente e, por isso é preciso ter em mente que o seu corpo irá mudar ao longo do tempo para escolher o melhor tamanho de prótese para você.
Não, o implante de silicone não apresenta rejeição no corpo. O que acontece é a formação de uma cápsula muscular em torno da prótese mamária, ação natural do organismo para se proteger de um corpo estranho. Essa é uma reação natural do organismo. Caso a cápsula torne-se mais densa, pode se contrair e comprimir o implante, causando desconforto, dor, deformação do formato e, em casos extremos, rompê-lo. Nessas situações, quando há dor e é possível ver a deformação da mama, o médico poderá recomendar a troca das próteses.
Coesividade é uma propriedade das moléculas de gel que compõem a prótese de silicone. É por causa dela que o gel não escorre, já que as moléculas se mantêm ligadas por meio de um processo industrial de alta tecnologia. Assim, mesmo que as próteses se rompam de alguma forma, você pode ficar tranquila: o gel não vai “escorrer” ou “se perder” dentro do seu corpo. As próteses de maior qualidade no mercado possuem até mesmo diferentes níveis de coesividade, que oferecem um toque mais macio ou mais firme. Portanto, além de ser fundamental para um melhor resultado estético, a coesividade é uma característica que oferece maior segurança. É importante conversar com seu cirurgião para saber quais as marcas disponíveis e suas diferenças.
Uma resolução* da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de 2012, determinou que as próteses importadas devem ter o selo de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para que possam ser vendidas no Brasil. É importante ficar atenta e questionar seu médico sobre os selos internacionais, como da Food and Drug Administration (FDA), agência norte-americana, e da Comunidade Europeia (CEEMA). *Referência: Página web Portal Brasil. Disponível em http://www.brasil.gov.br/saude/2012/03/protese-mamaria-deve-ter-selo-de-qualidade Acesso em 16/02/2016
+ Exibir outras

Algumas sugestões de perguntas que podem ajudar a esclarecer suas dúvidas e aumentar a sua confiança: